Força-tarefa COVID-19 Unicamp

Impressão 3D e Biofabricação

Problema
Acelerar o desenvolvimento de produtos e processos empregados no combate ao COVID-19 através do uso de tecnologias de Manufatura Aditiva (Impressão 3D) que auxiliam na produção automática de objetos físicos a partir de modelos virtuais 3D CAD, com geometria limitada. A Como apoio oferecemos também a tecnologia de Engenharia Reversa (digitalização 3D) que tem como objetivo gerar o modelo virtual (CAD) a partir de um objeto físico existente, tornando possível e rápido replicar e/ou aprimorar um produto já existente.

Proposta
Disponibilizar as máquinas de impressão 3D instaladas no Laboratório para desenvolvimento de produtos, desde que estejam em consonância com as normas da ANVISA:

Tecnologia: Sinterização a Laser Seletivo (SLS)
Materiais: poliamida 12 (esterelizável)

Tecnologia: Sinterização Direta de Metal por Laser (DMLS)
Materiais: Aço Maraging e 316L, Ligas de Titânio (Ti64), Ligas de Cobalto-Cromo (Co-Cr-Mo)

Tecnologia: Bioimpressão 3D
Biomateriais: PLA, Hidrogel, PVA, PLGA

Tecnologia: Scanner óptico para digitalização 3D

Status
Em parceria com CEB (Centro de Engenharia Biomédica) coordenador pelo Prof. Leonardo Elias estamos desenvolvendo protetores faciais (“Face Shield”) por impressão 3D, desenvolvimento, estudo e design de válvulas para respiradores, e peças de reposição para equipamentos médicos.

Necessidade
Recursos para compra de matéria prima para impressoras 3D e placas em material PETG para viseiras dos protetores faciais. Identificar parceiros da iniciativa privada para escalar a produção (máscaras, filtros, respirares, ventiladores, entre outros).

1 curtida

Caso necessitem cortar peças a laser temos duas cortadoras no Lapac-FEC.

1 curtida

Obrigado Gabi, será muito útil.

Estou participando de uma iniciativa de impressão de Face Shields no Vale do Paraíba e adaptamos o modelo Hiaga para maior conforto e otimização, ainda dentro da RDC 356/2020.
Nosso modelo não exige elástico, mas oferece essa opção para maior fixação.
Em uma ANET A8 com bico de 0.4mm é possível fazer uma peça por hora.

Caso haja interesse:

Obrigado Hugo.
A viseira estão fazendo em qual material? PETG cristal? Quem está fornecendo?

O Centro de Componentes Semicondutores e Nanotecnologias (CCSNano) coloca à disposição a sua infraestrutura laboratorial para montagem e esterilização de dos Face Shields.

Olá boa tarde.
Sou de um grupo de voluntários de uma empresa e gostaríamos de ajudar com a compra de materiais para fabricação das viseiras, ou o que for necessário. Vocês poderiam passar o contato do responsável por esse projeto para que possamos realizar nossas doações.

Olá @rsavu boa noite
Agradecemos a colaboração.
Entro em contato em breve.
Abraço

Olá @MichelyPotye boa noite
Sou responsável pelo projeto. Creio q a melhor forma é compra direta do material com o fornecedor. Agradecemos imensamente a colaboração.

Oi André, estamos usando Acetato 0.5mm.
Estou cuidando apenas da parte de impressão, então não sei dizer qual fornecedor estão usando, mas é comum em armarinhos (loja de linhas, tecidos, etc). A maioria está funcionando de portas fechadas e pode fornecer.

Olá Pessoal. Sou Jorge do CTI Renato Archer em Campinas. Aqui estamos imprimindo as estruturas das máscaras em Poliamida por SLS e os visores são feitos em PVC transparente. Não conseguimos o PETG e nem acetato. A Rhodia adquiriu e nos doou uma boa quantidade desse material que devemos receber hoje (07/04), mas não pode ser cortado em laser. Já atendemos alguns hospitais e estamos dispostos a colaborar.

Boa noite!
Trabalho diretamente com escolas que estão interessadas em imprimir estruturas para Face Shields em PLA, para ajudar nos hospitais e no atendimento em geral.

O modelo que encontrei que pode ser produzido pelas impressoras é o RC1 disponível neste link: https://www.prusaprinters.org/prints/25857-prusa-face-shield

Este modelo está sendo utilizado em países da Europa.
Precisaria de uma validação para poder contatar as escolas, e auxiliá-los a iniciar a produção e direcionar para os locais apropriados para esterilização e uso.

Tendo aval para produzir, consigo organizar com eles!

Prezado Lucas,
Este modelo PRUSA está sendo utilizando também por nós e demais colaboradores (CTI, UFABC, UNIFESP, entre outros).
O que vc deve ficar atento é com a RDC 356 da Anvisa que preconiza as dimensões da viseira (material PETG ou PVC) do protetor facial.
§ 4° O visor frontal deve ser fabricado em material transparente e possuir dimensões mínimas de espessura 0,5mm, largura 240 mm e altura 240mm.

Qualquer dúvida fico a disposição para ajudar.
Abraço
André

Legal! Então quanto a essa peça impressa, seguindo as orientações da Prusa de configuração e utilizando material PLA, podemos contribuir com os hospitais? Quanto ao visor frontal, não possuo esse material para produção…
Como pode ser feita essa contribuição com vocês? Assim tento direcionar as escolas para a produção dessa armação.

Esqueci de mencionar que estes protetores facial não necessitam ser esterilizados, apenas higienizados com álcool 70%.
Posso te encaminhar nosso arquivo PRUSA do Biofabris e vc coordena a impressão com os colegas das escolas.
O visor nós estaremos recebendo em breve o material e podemos compartilhar com vcs. Se concordar, vc pode coordenar as impressões e mandar as armações para nós que montamos o kit com a viseira e o elástico. o q vcs acha?

Seria esse modelo aqui! Conseguimos fazer também a parte de baixo a viseira que mantem a curvatura.

sobre o alcool 70%, ótimo! A mesa das impressoras é 150x 150 milímetros, ou seja, é limitada. Eu consegui imprimir em um arquivo da prusa menor esse RC1 indicado no link que enviei acima. É o mesmo modelo, só que mais curvado na parte das orelhas, de modo que a pessoa abre ele para encaixar no rosto.
Ótimo! Vou entrar em contato com o pessoal das escolas e ver como conseguimos nos organizar para produzir!